O que é decepção na psicologia - Diferença Entre

O que é decepção na psicologia

O que se entende por engano é um tópico importante no campo da psicologia. Especialmente, no caso da pesquisa, trata-se de um tema discutível, pois cria um dilema sobre a equidade em enganar os participantes de uma determinada pesquisa, a fim de obter informações de alta qualidade. É verdade que, como a psicologia é o estudo dos processos mentais e do comportamento dos seres humanos, a consciência de estar sendo observado ou usado para pesquisa pode alterar o comportamento natural dos indivíduos. É como uma solução para essa questão que o engano é geralmente usado.

Definição de Decepção em Psicologia

Decepção pode ser definida como intencionalmente enganar um indivíduo para um determinado ganho. Ao aplicar essa definição no contexto da pesquisa psicológica, a decepção ocorre quando os sujeitos da pesquisa, aqueles que participam de uma determinada pesquisa, recebem informações enganosas ou falsas para capturar a realidade de suas respostas ou comportamentos. Especialmente, nos estudos comportamentais, o significado dessa falta de consciência da realidade é ótimo, pois cria a perfeita condição de desvendar a realidade.

A decepção de sujeitos de pesquisa é aceita sob certas condições.

• Em primeiro lugar, o engano deve ser usado se não houver outra alternativa para obter informações precisas.

• Em segundo lugar, não deve prejudicar os sujeitos mentalmente ou fisicamente, e

• Finalmente, uma vez que a verdade tenha sido revelada (este processo é referido como debriefing, onde o pesquisador revela o verdadeiro propósito da pesquisa) e os participantes reivindicam a retirada, o pesquisador precisa respeitar sua decisão.

Estudo de Milgram

Ao falar do papel do engano na psicologia, o clássico estudo de obediência de Stanley Milgram traz evidências para o uso do engano na pesquisa comportamental, na história da psicologia. No estudo, ele pediu aos participantes da pesquisa que aplicassem um choque elétrico em outra pessoa se ele não fornecesse a resposta correta e, a cada tentativa fracassada, a voltagem fosse aumentada. Mesmo que, na realidade, nenhum choque tenha sido dado às pessoas, essa foi a informação recebida pelos participantes, mas a maioria dos participantes obedeceu aos comandos da pesquisa.


O uso do engano é bastante explícito, pois os participantes foram enganados quanto à realidade da pesquisa. No entanto, apesar do fato de que isso forneceu fontes precisas e ricas de dados, que foram impressionantes e contribuíram muito para a psicologia comportamental, houve muitas críticas, por serem consideradas bastante antiéticas. Isso porque, embora não houvesse dano físico aos participantes, era uma experiência emocional dolorosa.

Desvantagens em enganar os participantes

Embora o engano tenha suas vantagens de melhorar o banco de pesquisas psicológicas e levar a achados precisos em que as pessoas reagem genuinamente à situação, certamente tem suas desvantagens. Em primeiro lugar, antes de realizar a pesquisa, o consentimento informado dos participantes precisa ser feito. Uma das principais objeções é que viola os direitos do participante, já que o participante estaria consentindo com um engano e sendo usado para pesquisa onde ele não está ciente do verdadeiro propósito. Outra alegação é que questiona toda a ideia de ética. Finalmente, isso prejudica a imagem da disciplina como um todo, já que o uso do engano pode ser bastante degradante, onde as pessoas formulam atitudes negativas não apenas para aquela pesquisa e pesquisador em particular, mas para toda a comunidade.

Em suma, é verdade que o uso do engano é que a psicologia fornece dados confiáveis ​​e precisos à medida que as pessoas demonstram um comportamento genuíno. No entanto, o engano só deve ser usado em situações obrigatórias, pois tem uma série de desvantagens para o pesquisador, os participantes e a comunidade de pesquisa psicológica em geral. Para reduzir este dilema de ética, os participantes devem ser informados o mais cedo possível sobre a verdadeira natureza da pesquisa e seus objetivos.

Imagens Cortesia: